20200123_163925.jpg

|1. Que é o Patrimônio Mundial?

A palavra patrimônio em espanhol vem do latim patrimonium: “herança, propriedade paterna”. Esta palavra é composta por pater (pai) e -monium, um sufixo que vem do verbo latino “monere”, que indica “condição, estado, ação”. Juntos, eles podem ser traduzidos como "o que lembra o pai". A expressão enfatiza o passado e o respeito devido a ele. Assim, a maioria das línguas românicas usa a palavra "herança". Em espanhol e italiano, patrimonio; e em francês, patrimoine. 
Em inglês, por outro lado, é usada a palavra heritage (herança): patrimônio é entendido como o que é recebido, salvaguardado e transmitido. Insiste na ideia de futuro e na responsabilidade de cada geração.
O Patrimônio Mundial é o pilar sobre o qual a humanidade constrói sua memória e desenvolve suas múltiplas identidades. A preservação e valorização do Patrimônio Mundial é uma necessidade vital para todos os povos. E todos devemos estar cientes dessa necessidade, pois o Patrimônio Mundial tem um Valor Universal Excepcional.
Nos últimos séculos, a humanidade perdeu grandes exemplos de seu patrimônio mundial por diversos motivos: conflitos armados, terrorismo, aquecimento global, falta de recursos e cuidados, industrialização, poluição, ignorância, indiferença ... Hoje, continuamos a testemunhar dessas irreparáveis perdas.
O destino do Patrimônio Mundial dependerá, em grande medida, do compromisso das gerações mais jovens e das políticas e decisões atuais.

|2. Patrimônio Cultural

Entendemos por Patrimônio Cultural os bens que possuem um Valor Universal Excepcional. Por exemplo, os monumentos que podem ser: edifícios; sítios arqueológicos; cavernas com pinturas rupestres; grupos como cidades ou bairros; ou lugares que podem ser obras feitas exclusivamente pelo homem ou pelo homem e a natureza, como paisagens urbanas ou rurais.
Em 2021, a UNESCO inclui 869 bens culturais na lista do Patrimônio Mundial. A lista se expande a cada dois anos com novos bens. O patrimônio cultural tem um Valor Universal Excepcional que ultrapassa as fronteiras. Portanto, devemos preservá-lo para as gerações futuras. Sua degradação ou desaparecimento seria um empobrecimento do patrimônio de todos os povos do mundo.
Vejamos alguns exemplos do Patrimônio Cultural do planeta:
- O mosteiro do Escorial, a 45 km da capital espanhola, Madri, é património cultural da humanidade desde 1984. Também foi considerado, desde finais do século XVI, a Oitava Maravilha do Mundo devido ao seu tamanho e complexidade funcional e ao seu enorme valor simbólico.
- A histórica cidade do México e Xochimilco. A antiga cidade asteca é hoje uma das maiores e mais populosas capitais do mundo, com uma catedral impressionante.
- Brasília, a Capital do Brasil, é a única cidade construída no século XX que recebeu o título de Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco.
- A Grande Muralha da China é a maior obra da engenharia militar de todos os tempos. Seu grande valor arquitetônico é comparável à sua importância histórica e estratégica.
- O Taj Mahal, no distrito de Agra (Índia), é um grandioso mausoléu de mármore branco e uma joia da arte muçulmana na Índia.
- Veneza e sua Lagoa, na Itália, é uma cidade lacustre que possui 118 ilhotas. Veneza é uma obra-prima da arquitetura da humanidade.
Esses 6 exemplos são patrimônio de toda a humanidade. Ou seja, embora os 6 bens estejam na Espanha, México, Brasil, China, Índia e Itália, eles são o patrimônio cultural de todos os povos do mundo. Portanto, sua conservação e cuidado são de vital importância para a humanidade.

|1. Que é o Patrimônio Mundial?

A palavra patrimônio em espanhol vem do latim patrimonium: “herança, propriedade paterna”. Esta palavra é composta por pater (pai) e -monium, um sufixo que vem do verbo latino “monere”, que indica “condição, estado, ação”. Juntos, eles podem ser traduzidos como "o que lembra o pai". A expressão enfatiza o passado e o respeito devido a ele. Assim, a maioria das línguas românicas usa a palavra "herança". Em espanhol e italiano, patrimonio; e em francês, patrimoine. 


Em inglês, por outro lado, é usada a palavra heritage (herança): patrimônio é entendido como o que é recebido, salvaguardado e transmitido. Insiste na ideia de futuro e na responsabilidade de cada geração.


O Patrimônio Mundial é o pilar sobre o qual a humanidade constrói sua memória e desenvolve suas múltiplas identidades. A preservação e valorização do Patrimônio Mundial é uma necessidade vital para todos os povos. E todos devemos estar cientes dessa necessidade, pois o Patrimônio Mundial tem um Valor Universal Excepcional.


Nos últimos séculos, a humanidade perdeu grandes exemplos de seu patrimônio mundial por diversos motivos: conflitos armados, terrorismo, aquecimento global, falta de recursos e cuidados, industrialização, poluição, ignorância, indiferença ... Hoje, continuamos a testemunhar dessas irreparáveis perdas.


O destino do Patrimônio Mundial dependerá, em grande medida, do compromisso das gerações mais jovens e das políticas e decisões atuais.

|2. Patrimônio Cultural

Entendemos por Patrimônio Cultural os bens que possuem um Valor Universal Excepcional. Por exemplo, os monumentos que podem ser: edifícios; sítios arqueológicos; cavernas com pinturas rupestres; grupos como cidades ou bairros; ou lugares que podem ser obras feitas exclusivamente pelo homem ou pelo homem e a natureza, como paisagens urbanas ou rurais.


Em 2021, a UNESCO inclui 869 bens culturais na lista do Patrimônio Mundial. A lista se expande a cada dois anos com novos bens. O patrimônio cultural tem um Valor Universal Excepcional que ultrapassa as fronteiras. Portanto, devemos preservá-lo para as gerações futuras. Sua degradação ou desaparecimento seria um empobrecimento do patrimônio de todos os povos do mundo.


Vejamos alguns exemplos do Patrimônio Cultural do planeta:


- O mosteiro do Escorial, a 45 km da capital espanhola, Madri, é património cultural da humanidade desde 1984. Também foi considerado, desde finais do século XVI, a Oitava Maravilha do Mundo devido ao seu tamanho e complexidade funcional e ao seu enorme valor simbólico.


- A histórica cidade do México e Xochimilco. A antiga cidade asteca é hoje uma das maiores e mais populosas capitais do mundo, com uma catedral impressionante.


- Brasília, a Capital do Brasil, é a única cidade construída no século XX que recebeu o título de Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco.


- A Grande Muralha da China é a maior obra da engenharia militar de todos os tempos. Seu grande valor arquitetônico é comparável à sua importância histórica e estratégica.


- O Taj Mahal, no distrito de Agra (Índia), é um grandioso mausoléu de mármore branco e uma joia da arte muçulmana na Índia.


- Veneza e sua Lagoa, na Itália, é uma cidade lacustre que possui 118 ilhotas. Veneza é uma obra-prima da arquitetura da humanidade.


Esses 6 exemplos são patrimônio de toda a humanidade. Ou seja, embora os 6 bens estejam na Espanha, México, Brasil, China, Índia e Itália, eles são o patrimônio cultural de todos os povos do mundo. Portanto, sua conservação e cuidado são de vital importância para a humanidade.

|3. Patrimônio Natural:

Patrimônio Natural é entendido como sítios representativos e excepcionais, como certas formações físicas e biológicas (florestas, geleiras, ilhas); o habitat de espécies animais e vegetais ameaçadas de extinção (recifes, pântanos ...); e sítios ou áreas naturais estritamente delimitadas como parques nacionais.


Em 2021, a UNESCO inclui 213 bens naturais na lista do Patrimônio Mundial. A lista se expande a cada dois anos com novos ativos. O patrimônio natural tem um Valor Universal Excepcional que ultrapassa fronteiras. Portanto, devemos preservá-los para as gerações futuras. Sua degradação ou desaparecimento seria um empobrecimento do patrimônio de todos os povos do mundo.


Vejamos alguns exemplos do Patrimônio Natural do planeta:


- Sian Ka'an, na costa oriental da península de Yucatán (México) é uma reserva da biosfera que inclui florestas tropicais, manguezais, pântanos e uma vasta área marinha atravessada por uma barreira de recifes. Mais de 300 espécies diferentes de pássaros e um grande número de vertebrados terrestres únicos vivem aqui.


- O Parque Nacional Los Katios, localizado no noroeste da Colômbia, tem uma diversidade biológica excepcional e abriga várias espécies de animais ameaçados de extinção, além de numerosas plantas endêmicas.


- As principais florestas de faias dos Cárpatos e de outras regiões da Europa. Este patrimônio natural transnacional, compartilhado por 12 países europeus, é composto por mais de cinquenta florestas, principalmente de faias. Essas florestas são uma amostra das antigas florestas primárias temperadas que uma vez ocuparam grande parte do continente europeu.


- As Ilhas Galápagos, localizadas no Pacífico, a mais de mil quilômetros do Equador, são um grupo de dezenove ilhas de origem vulcânica cujo entorno da reserva marinha é um museu vivo e um laboratório da evolução. Ainda podem ser estudados os processos geológicos e geomorfológicos em desenvolvimento que ajudam a entender a origem misteriosa dessas ilhas.


Esses 4 exemplos são patrimônio de toda a humanidade. Ou seja, embora os 4 bens estejam no México, Colômbia, Equador e em 12 países europeus são Patrimônio Natural de todos os povos do mundo. Portanto, sua conservação e cuidado são de vital importância para a humanidade.

|4. Patrimônio misto:

Por vezes, não é fácil distinguir entre um bem cultural e um bem natural porque têm, ao mesmo tempo, um valor natural e cultural significativo. É por isso que falamos de patrimônio misto.


Em 2021, a UNESCO inclui 39 bens mistos na lista do Patrimônio Mundial. A lista se expande a cada dois anos com novos ativos. O patrimônio misto tem um Valor Universal Excepcional que ultrapassa as fronteiras. Portanto, devemos preservá-los para as gerações futuras. Sua degradação ou desaparecimento seria um empobrecimento do patrimônio de todos os povos do mundo.


Vejamos alguns exemplos de bens mistos:


- Pirenéus, Monte Perdido, em ambos os lados da fronteira entre a França e a Espanha. É uma extraordinária paisagem montanhosa cujo centro é o maciço calcário do Monte Perdido, com uma altura de 3.352 metros. Esta paisagem, composta por aldeias, quintas, campos, pastagens altas e estradas de montanha, é um testemunho inestimável do passado da sociedade europeia.


- A antiga cidade maia e as florestas tropicais protegidas de Calakmul, Campeche. Localizado no setor central e sul da Península de Yucatán, no sul do México, o local inclui os restos mortais da importante cidade maia de Calakmul, localizada nas profundezas da selva tropical das terras baixas mexicanas. Calakmul também abriga um importante santuário de biodiversidade da Mesoamérica.


- O Santuário Histórico de Machu Picchu, no Peru. Os seus monumentos estão integrados numa paisagem montanhosa de beleza espetacular e são um exemplo único de uma longa relação harmoniosa entre a cultura humana e a natureza.


- O Parque Nacional Tikal na Guatemala. Localizada no coração da selva, Tikal é um dos locais mais importantes da civilização maia. Foi habitada desde o século VI a C. até o século X. Seu centro cerimonial inclui templos, palácios soberbos e praças públicas que eram acessadas por rampas.


Esses 4 exemplos são patrimônio de toda a humanidade. Ou seja, embora os 4 bens estejam na Espanha, França, México, Peru e Guatemala, são Patrimônio Misto de todos os povos do mundo. Portanto, sua conservação e cuidado são de vital importância para a humanidade.

|5. Patrimônio Mundial em perigo

A preservação e valorização do Patrimônio Mundial é uma necessidade vital para todos os povos. E todos devemos estar cientes dessa necessidade, pois o Patrimônio Mundial tem um Valor Universal Excepcional.
Nos últimos séculos, a humanidade perdeu grandes exemplos de seu Patrimônio Mundial por diversos motivos: conflitos armados, terrorismo, aquecimento global, falta de recursos e cuidados, industrialização, poluição, ignorância, indiferença ...


A Unesco trabalha para que as pessoas conheçam e cuidem do patrimônio da humanidade. Para ajudar a divulgar e preservar o Patrimônio Mundial, há uma lista das “maravilhas do mundo”. Atualmente, existem 1.121 bens inscritos na lista, dos quais 869 são bens culturais; 213 natural; 39 mistos, ou seja, possuem significativo valor natural e cultural; e outros 36 transnacionais, ou seja, bens culturais, naturais ou mistos encontrados em mais de um Estado.


O Comitê do Patrimônio Mundial publica, sempre que as circunstâncias o exigirem, a "Lista do Patrimônio Mundial em Perigo". Apenas podem figurar nesta lista os bens do patrimônio cultural e natural que estão ameaçados por perigos graves e precisos, como a ameaça de desaparecimento devido à deterioração acelerada, ou a grandes projetos de obras públicas ou privadas, rápido desenvolvimento urbano e turístico, destruição, abandono, conflito armado, catástrofes e cataclismos, incêndios, terremotos, deslizamentos de terra, erupções vulcânicas, mudanças nos níveis de água, inundações e tsunamis.


Dos 1.121 bens, 53 estão na lista do Patrimônio Mundial em Perigo. 36 são bens culturais e 17 são naturais.
A região do mundo com o maior número de bens ameaçados de extinção são os Estados Árabes, que detêm 40% do total, especificamente 21 bens culturais. Alguns exemplos são a Cidade Velha de Damasco, inscrita na lista do Patrimônio Mundial em Perigo desde 2013. A República Árabe Síria possui 6 bens culturais e todos eles estão em perigo. O mesmo acontece com a Líbia. Os 5 bens culturais do Patrimônio Mundial que possui estão em perigo. Destacamos o sítio arqueológico de Cirene, uma das principais cidades do mundo grego, em perigo desde 2016.


Depois dos Estados Árabes, vem a África, com 30% do total de bens em perigo, incluindo 4 culturais e 12 naturais. Destacamos a Reserva de Fauna Okapis onde vivem espécies de primatas, aves ameaçadas de extinção e 5.000 okapis, mamífero da mesma família da girafa. Esta reserva, em perigo desde 1997, está localizada na República Democrática do Congo, cujos 5 bens naturais estão em perigo.


Em seguida vêm a Ásia e o Pacífico e a América Latina e o Caribe, com 11% dos bens mundiais em risco cada um.
Na Ásia e no Pacífico, existem 4 bens culturais e 2 naturais. Exemplos desses bens seriam a paisagem cultural e os vestígios arqueológicos do Vale de Bamiyan, no Afeganistão, em perigo desde 2003, e o Patrimônio Natural das florestas tropicais de Sumatra, na Indonésia, em perigo desde 2011.


A América Latina e o Caribe também têm 4 bens culturais e 2 naturais na lista do Patrimônio Mundial em perigo. Destacamos a cidade de Potosí, na Bolívia, em perigo desde 2014, e a Reserva da Biosfera do Rio Plátano, em Honduras, um dos poucos vestígios de floresta tropical da América Central, na lista do Patrimônio Mundial em perigo desde 2011.
Por fim, a Europa e a América do Norte têm 3 bens culturais e 1 natural nesta lista, especificamente 8% do total de todos os bens em risco. Exemplos seriam o Centro Histórico de Viena, na Áustria, em perigo desde 2017 e o Parque Nacional Everglades, nos Estados Unidos, na lista desde 2010.


A inscrição na Lista do Patrimônio Mundial em Perigo não é uma sanção, pois muitas vezes serve para atrair a atenção internacional e obter assistência eficaz para necessidades específicas de conservação.


Se um sítio perder as características pelas quais foi inscrito na Lista do Patrimônio Mundial, o Comitê pode decidir removê-lo tanto da Lista do Patrimônio Mundial em Perigo quanto da Lista do Patrimônio Mundial. Até o momento, dois bens foram excluídos: o Santuário do Órix Árabe em Omã, em 2007; e a paisagem cultural do Vale do Elba em Dresden, Alemanha, excluída em 2009.


Juntos devemos conservar esses bens que têm um Valor Universal Excepcional e constituem uma parte intrínseca da civilização mundial.

|6. Patrimônio Cultural Imaterial

Para a maioria dos grupos humanos, a fonte de identidade não se encontra nem nas cidades, nem nos monumentos, nem nos parques naturais. Encontra-se no que a UNESCO definiu como "Patrimônio Cultural Imaterial (PCI)": conjunto de tradições ou expressões vivas herdadas de nossos ancestrais e transmitidas aos nossos descendentes, como tradições orais, artes cênicas, usos sociais, rituais, eventos festivos, conhecimentos e práticas relacionados com a natureza e o universo, e conhecimentos e técnicas relacionadas com o artesanato tradicional.


O PCI corre grande risco de desaparecer devido a uma forte ameaça: o aumento da globalização. Por isso, a UNESCO desenvolveu nos últimos tempos diversas iniciativas para divulgar e preservar o PCI de toda a humanidade.
O PCI é o patrimônio vivo da humanidade e é essencial para estimular o diálogo entre as culturas e promover o respeito por outras formas de vida.


A UNESCO reconhece atualmente um total de 584 elementos PCI correspondentes a 131 países. Alguns destes elementos pertencem a vários países ao mesmo tempo, o que mostra que o PCI se estende por diferentes territórios e é um exemplo vivo da riqueza da Humanidade em todo o planeta.


Os 584 elementos reconhecidos até 2021 são classificados em três listas diferentes:


1. Lista Representativa do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.
Existem atualmente 492 itens correspondentes a 128 países. Um dos últimos elementos inscritos na lista é "Os Cavalos do Vinho", uma festa equestre que se realiza todos os anos em Espanha, na localidade de Caravaca de la Cruz. Outros exemplos são o flamenco, a capoeira ou os castells.


2. Lista do Patrimônio Cultural Imaterial que requer medidas de salvaguarda urgentes.
Por salvaguarda entende-se as medidas destinadas a garantir a viabilidade do PCI, incluindo a identificação, documentação, investigação, proteção, valorização, transmissão e revitalização deste património nas suas diferentes vertentes. Hoje, são 67 itens na lista correspondendo a 35 países. Um dos últimos itens da lista é a tecelagem manual do Egito Superior, chamada sa'eed. Sa'eed tecelagem manual é um fator de identidade com sua própria linguagem. Atualmente, esta prática ancestral está em perigo principalmente devido à sua baixa rentabilidade. Outros exemplos são: o teatro de sombras da República Árabe Síria; a Caligrafia mongol; ou a dança Saman da Indonésia.


3. Registro de boas práticas de salvaguarda.
O Registro de Boas Práticas é composto por programas, projetos e atividades. Em 2020, são 25 itens correspondentes a 22 países. Uma das últimas práticas inscritas na lista é a estratégia de salvaguarda do artesanato tradicional para a construção da paz na Colômbia. Esta iniciativa visa diminuir o declínio do artesanato tradicional com um sistema de transmissão intergeracional de conhecimentos teóricos e técnicos dos professores para os aprendizes, baseado num método não formal de aprender fazendo. Outros exemplos são: A yola da Martinica, um modelo de salvaguarda do patrimônio cultural: da construção à arte de navegar; ou “Terra de lendas”, um programa para promover e revitalizar a arte de contar histórias na região de Kronoberg, na Suécia.