Blog

20191018_113410.jpg
Buscar

A passada quarta-feira 6 de abril, a Rede pelo Patrimônio Mundial foi convidada a participar do evento Programa de Gestores organizado pelo Grupo Rabbit.


Com a presencia de mais de 600 diretores e coordenadores de escolas de todo o Brasil o evento começou super animado. Teve a apresentação de covers de grandes mitos da música mundial de várias épocas, que cantaram ao vivo musicas para entendermos as mudanças e diferenças que existem entre as gerações e a importância de ser olhadas e consideradas na gestão das escolas.


Da mão do CEO, Christian Rocha Coelho do Grupo Rabbit Educação, foram entregues duas palestras com conteúdo de extrema relevância sobre gestão e boas praticas nas escolas. Apresentou o tema ‘Está na hora de fazer arte, uma nova ótica sobre os processos de liderança geracional" e a pesquisa geracional realizada com mais de 15 mil pais de alunos das escolas parceiras da Rabbit. O evento também contou com uma feira de exposição com stands de principais players do setor educacional do Brasil.


Nosso mais sincero agradecimento pelo convite a Giselle Alves, Gerente de Vendas do Grupo Rabbit.


6 visualizações0 comentário

Por Lourdes Ballesteros, Cofundadora da Rede pelo Patrimônio Mundial


Para a maioria dos grupos humanos, a fonte de identidade não se encontra nas cidades nem nos monumentos e tampouco nos parques naturais. Encontra-se no que a UNESCO definiu como “Patrimônio Cultural Imaterial (PCI)”.

O que é o Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade?

Um conjunto de tradições ou expressões vivas herdadas de nossos ancestrais e transmitidas a nossos descendentes, como tradições orais, artes cênicas, usos sociais, rituais, atos festivos, saberes e práticas ligados à natureza e ao universo, e saberes e técnicas ligados ao artesanato tradicional.


O PCI corre grande risco de desaparecer devido a uma forte ameaça: a crescente globalização. Por esta razão, a UNESCO desenvolveu diferentes iniciativas para divulgar e preservar o PCI de toda a humanidade.

Em 1989, a Conferência Geral da UNESCO adotou uma recomendação sobre a salvaguarda da cultura tradicional e popular. Em 2001, a UNESCO proclamou pela primeira vez 19 Obras-Primas do Patrimônio Imaterial e Oral da Humanidade. Em 2003, a Convenção para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial foi adotada pela Conferência Geral da UNESCO.


Objetivos da Convenção para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial:

Os principais objetivos da Convenção de 2003 são salvaguardar o patrimônio vivo, garantir seu respeito, aumentar a conscientização sobre sua importância e promover a cooperação e assistência internacional nesses campos. Atualmente são 187 países signatários, incluindo a Espanha e o Brasil.


Todos os anos, o Comitê Intergovernamental para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial se reúne para avaliar as candidaturas apresentadas pelos Estados Partes na Convenção de 2003. A última reunião do Comitê foi realizada online, em dezembro de 2021. Nesta última reunião, 46 ​​novos elementos do patrimônio vivo foram incluídos. Portanto, a UNESCO reconhece um total de 629 elementos do PCI correspondentes a 139 países. Alguns desses elementos pertencem a vários países ao mesmo tempo, o que mostra que o PCI se estende por diferentes territórios e é um exemplo vivo da riqueza da Humanidade em todo o planeta.


Os 629 elementos reconhecidos até 2021 são classificados em três listas diferentes:


1. Lista Representativa do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.


2. Lista do Patrimônio Cultural Imaterial que requer medidas urgentes de salvaguarda.


3. Registro de boas práticas de proteção.


Os 4 elementos do Patrimônio Cultural Imaterial da Ucrânia:

Em 2021, um novo elemento da Ucrânia foi incluído na lista representativa do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade:


- Örnek, simbolismo ornamental dos tártaros da Crimeia e conhecimentos relacionados:

O conjunto de símbolos significativos dos tártaros da Crimeia chamado "Örnek" ainda é usado hoje na realização de bordados, tecelagem, cerâmica, gravuras, joias, esculturas em madeira e pinturas de parede e vidro. Esses símbolos são dispostos de forma a criar uma composição narrativa. As comunidades tártaras conhecem seu significado e muitas vezes contratam artesãos para criar composições com certos significados. Entre os símbolos mais comuns estão plantas e árvores que representam pessoas de diferentes sexos e idades. No total, são cerca de trinta e cinco símbolos diferentes com conotações e significados próprios, por exemplo: a rosa representa uma mulher casada, o álamo ou cipreste um homem adulto, a tulipa um menino, a amêndoa uma mulher solteira ou uma menina, e o cravo representa um velho sábio com experiência vital.


Os outros três elementos da Ucrânia incluídos na lista representativa do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade são:


- A cerâmica pintada tradicional de Kosiv (2019):

A arte tradicional de fazer cerâmica pintada na cidade de Kosiv remonta ao século XVIII e atingiu seu auge em meados do século XIX. A matéria-prima utilizada para os produtos – louças, objetos cerimoniais, brinquedos e azulejos – é um barro local acinzentado, que depois é recoberto com outro barro branco de textura cremosa. A principal característica da cerâmica Kosiv é o estilo figurativo de sua ornamentação que ilustra a vida, história, crenças, tradições e costumes dos montanheses Hutsul, bem como a fauna e a flora do território em que vivem. Os objetos fabricados têm um valor artístico e prático, pois são usados ​​no dia a dia. Os mestres ceramistas trabalham em pequenas oficinas artesanais ou caseiras e seu ofício é para eles um sinal de identidade e pertencimento comunitário.


- Cânticos cossacos da região de Dnipropetrovsk (2016):


Interpretadas por comunidades da região de Dnipropetrovsk, as canções cossacas contam as tragédias da guerra e as relações pessoais entre os soldados cossacos. Essa música vocal é executada por três grupos diferentes de cantores, chamados respectivamente krynycya, boguslavochka e pershocvit, que executam suas melodias por puro deleite pessoal e para manter um vínculo com o passado, ou seja, com seus ancestrais e a história de sua comunidade. Essa música vocal tradicional é repassada aos membros mais jovens da comunidade dentro das famílias, mas sua sobrevivência é ameaçada pelo envelhecimento de seus guardiões e pela falta de pessoas que possam formar as novas gerações.



- Pintura decorativa Petrykivka, expressão da arte folclórica ornamental ucraniana (2013):


Os moradores da cidade de Petrykivka decoram suas casas e adornam seus objetos domésticos e instrumentos musicais com pinturas de natureza simbólica, nas quais predominam fantásticos motivos florais e outros elementos inspirados na natureza, que são resultado da observação meticulosa da fauna e flora local. Esta arte pictórica é rica em símbolos: o galo representa o fogo e o despertar espiritual, enquanto os pássaros evocam luz, harmonia e felicidade.

Segundo a crença popular, essas pinturas têm o dom de proteger as pessoas contra a melancolia e as maldições. Todos os moradores da cidade participam da performance desta arte tradicional, principalmente mulheres de todas as idades. A prática tradicional desta arte decorativa e aplicada contribui para reviver a memória espiritual e histórica da comunidade e, além disso, é um elemento definidor da sua identidade.

Conclusão:

Como vimos, o PCI promove o respeito à diversidade cultural e à criatividade humana. É passado de geração em geração e é constantemente praticado por comunidades e grupos de pessoas. É um patrimônio vivo que também interage com a natureza e a história, criando um sentimento de identidade e continuidade.

6 visualizações0 comentário

A Rede pelo Patrimônio Mundial expressa sua mais profunda tristeza e rejeição à invasão russa da Ucrânia.


Apelamos para que os direitos humanos e a vida das pessoas sejam respeitados e que seja evitado qualquer tipo de ataque a crianças, jovens, professores e pessoal do âmbito educativo, cultural e empresarial.


Aderimos à declaração da UNESCO em que apela ao “respeito ao direito internacional humanitário, em particular à Convenção de Haia de 1954 para a Proteção dos Bens Culturais em Caso de Conflito Armado e seus dois Protocolos (1954 e 1999), para garantir a prevenção de danos ao patrimônio cultural em todas as suas formas”.



Pedimos que se defenda o direito à educação, à paz e à solidariedade entre os povos. Nossos mais sinceros votos e pensamentos às pessoas que estão sofrendo de perto este conflito. Esperamos que o sentimento de humanidade compartilhada esteja presente nos líderes internacionais que tomam as decisões.

3 visualizações0 comentário